16 de Dezembro de 2016

Report: notícias

Report passa a integrar o Standards Pioneers Program

O lançamento das Normas GRI, novo formato da metodologia de relato da Global Reporting Initiative (GRI), desafia e instiga organizações de diferentes regiões, portes e setores a aprimorar suas práticas de comunicação de desempenho. Para apoiar seus clientes e parceiros na transição para o novo framework, a Report formalizou sua participação no Standards Pioneers Program – voltado aos membros da GOLD Community da GRI para o monitoramento da aplicação das novas diretrizes.

A participação nessa rede permite às empresas e consultorias se antecipar em relação às mudanças propostas nas Normas, com atividades que incluem um calendário de eventos ao redor do mundo, o acesso às comunicações da GRI e a participação em debates sobre a transição, viabilizando a troca de conhecimentos e aprendizados.

Desde a Conferência Global da GRI, realizada na Holanda no primeiro semestre deste ano, a Report tem marcado presença nos encontros do Ponto Focal da GRI no Brasil. Com uma estrutura modular, combinando normas universais (sobre fundamentos, abordagem de gestão e conteúdos gerais) e tópicos específicos para comunicação de desempenho nos eixos econômico, social e ambiental, as Normas têm um objetivo claro: tornar mais intuitiva e customizada sua aplicação aos relatos corporativos, trazendo, de quebra, maior agilidade em caso de atualizações, conexão com outras metodologias e alinhamento com o modelo de certificações.

Saiba mais sobre como a Report tem participado das discussões sobre as Normas GRI aqui

Mais informações sobre as Normas GRI aqui.

Mais sobre o Standards Pioneers Program aqui.

 
 
 
 
8 de Dezembro de 2016

Report: notícias

Encontro destaca novidades das Normas GRI

A Global Reporting Initiative (GRI) promoveu um encontro em São Paulo (6/12) para os membros brasileiros da GOLD Community. Gláucia Terreo, ponto focal da GRI no Brasil, e Sulema Poli, membro do Global Sustainability Standards Board, falaram sobre a transição da versão G4 da  metodologia para as Normas GRI.

Com participantes de empresas e consultorias especializadas, o workshop esclareceu que a mudança para as normas vem no sentido de apoiar regulamentações ao redor do mundo, junto com outros frameworks. Atualmente, cerca de 40 países possuem leis que exigem a publicação de relatórios de sustentabilidade; a ideia é fortalecer e dar impulso a esse movimento global, que reforça o compromisso de organizações para com a prestação de contas sobre seus projetos, investimentos e sua geração de valor.

O que muda?

Para quem está habituado à geração G4 das Diretrizes para Relatórios de Sustentabilidade, lançada há três anos, não há grandes novidades; os conteúdos não foram modificados. Para uma organização aderir à metodologia em seu relato, permanecem as opções “De Acordo” e os princípios de conteúdo e qualidade – na mesma linha do proposto na versão G4.

A principal mudança está na estrutura, que, agora modular, permite revisões avulsas e segmentadas, evitando lançamentos de novas versões da metodologia (G5, G6 etc.). As próximas atualizações a caminho, ainda sem data fixa, são nos tópicos sobre Saúde e Segurança, Água e Direitos Humanos. 

Outra novidade da metodologia é a maior clareza nos vocabulários e em termos sobre o que tem que ser publicado e o que é opcional. Também haverá mudança de terminologia: é o caso dos aspectos, que agora passam a ser chamados de tópicos.

Alguns conteúdos foram realocados e consolidados; a GRI também optou pela eliminação de outros elementos repetitivos, como no caso dos tópicos de Direitos Humanos.

Confira

Para compreender o que mudou de forma didática em relação à G4, a GRI elaborou um “de/para” das normas, por enquanto disponível em inglês. O material pode ser baixado aqui.

Em português

A tradução das Normas para o português está prevista para junho de 2017.

Entre em contato

Quer saber como a Report pode apoiar sua empresa na transição para as Normas GRI? Entre em contato com nossa equipe de consultoria: consultoria@reportsustentabilidade.com.br

 
 
 
 
7 de Dezembro de 2016

Report: notícias

Dow lança livro de boas práticas na América Latina

A Dow, uma das maiores companhias químicas globais, com 3,4 mil funcionários no Brasil e 49 mil ao redor do mundo, acaba de lançar um livro com histórias de sucesso relacionadas à sua estratégia socioambiental nos mercados latino-americanos. Intitulada “Práticas de Sustentabilidade na América Latina”, a publicação foi produzida com apoio da Report no conteúdo e no design e está disponível em três idiomas (português, espanhol e inglês). Para acessá-la, clique aqui.

                                            

Desde 2016, a Dow trabalha globalmente com as Metas de Sustentabilidade 2025, conjunto de compromissos em sete pilares e três grandes eixos que abordam, entre outros assuntos, a inovação, a colaboração com parceiros de negócios, o engajamento de colaboradores e o fomento à economia circular.

Na América Latina, foi desenvolvida a estratégia “sustentabilidade como um direcionador para os negócios”, relacionando desafios locais a setores de mercado em que a Dow pretende crescer. Esse plano é detalhado na publicação por meio de infográficos e mensagens assinadas pelos principais executivos locais.

Para demonstrar como os compromissos se refletem na prática, foram selecionados três cases para cada uma das quatro divisões regionais atendidas pela Dow: Andina (com sede na Colômbia); Norte (México); Sul (Argentina); e Brasil. A Report trabalhou no design, na edição e na construção do conteúdo, a partir de consultas diretas às lideranças da empresa nas quatro regiões.

Outros produtos – a parceria da Dow com a Report também inclui outros projetos de comunicação, como o Relatório de Sustentabilidade 2015, também lançado em novembro, que destaca os principais projetos e indicadores socioambientais da Companhia no Brasil (acesse aqui). A Companhia também terá uma versão resumida do relatório, com destaques e indicadores-chave relacionados às Metas 2025. Para acessá-la, consulte em breve o site da Dow Brasil).

 
 
 
 
17 de Novembro de 2016

Report: notícias

Toyota divulga destaques do ano no Salão do Automóvel

Mais um Relatório de Sustentabilidade da Toyota do Brasil está saindo do forno. Pelo sétimo ano consecutivo, a Report apoia a empresa na construção do documento que apresenta seu desempenho econômico, social e ambiental, com base na metodologia da Global Reporting Initiative (GRI). Uma prévia da edição 2015/2016 foi divulgada ontem (16) à tarde para a imprensa no estande da montadora no Salão do Automóvel, promovido na São Paulo Expo, na zona sul da capital paulista.

Dando sequência aos ciclos de prestação de contas, o Relatório 2015/2016 traz como novidade uma versão folder, contendo um sumário de indicadores e destaques do ano – incluindo a revitalização da planta de São Bernardo do Campo, a inauguração da fábrica de motores de Porto Feliz e o novo centro logístico em Pernambuco, que reduz emissões do processo de distribuição de veículos prontos na ordem de 1.600 toneladas de CO2 anuais. Além disso, um infográfico de boas práticas na cadeia de valor da Toyota foi desenvolvido, demonstrando ações de ecoeficiência na operação, tecnologias híbridas e programas de engajamento com fornecedores, distribuidores, clientes e comunidades (confira aqui a versão animada).

No Salão do Automóvel, o estande da Toyota se destaca por ter uma versão suspensa desmontada do híbrido Prius – à venda na rede autorizada brasileira desde 2013 –, para que o público possa conhecer a estrutura do veículo, e uma seção dedicada à história e ao modelo de produção da montadora. A expectativa é que a companhia lance um centro de visitação com essas e outras informações na unidade de São Bernardo do Campo em 2017.

Desafio 2050 - No segundo semestre de 2015, a Toyota divulgou globalmente seu Desafio Ambiental 2050 – que, entre outros compromissos, estipula que a companhia terá seu portfólio 100% composto de veículos dotados de tecnologias de ponta de baixo impacto ambiental, como a híbrida, a elétrica e a de células de combustível a hidrogênio. Essa política é um dos direcionadores-chave do relatório, junto com a lista de temas materiais de sustentabilidade para o Brasil, desenvolvida em 2015 após consulta aos diferentes públicos de relacionamento. Este processo foi conduzido em parceria com a Report. 

Versão completa - Além do folder impresso, uma prévia do conteúdo referente à performance 2015/2016 está disponível em www.toyota.com.br/sustentabilidade. Em dezembro, será disponibilizado no mesmo endereço o conteúdo completo do Relatório de Sustentabilidade, contendo os indicadores GRI e todos os detalhes dos resultados do ano fiscal.

 
 
 
 
20 de Maio de 2016

Report: notícias

Encontro GRI: primeiras impressões

A 5ª Conferência da GRI se encerrou hoje, em Amsterdã, após três dias de debates e exposições. A report esteve no encontro com dois integrantes da sua equipe, Gilberto Longo, sócio-diretor, e Victor Netto, consultor, que nos apresentam suas primeiras impressões:

  • Os Objetivos do Desenvolvimento Sustentável (ODSs) ingressaram, de fato, na agenda da GRI e das empresas e sugerem uma visão comum para grandes questões, o que permite maior interação, diálogo e colaboração.
  • Big data: um dos principais temas da conferência tratou do uso de tecnologia para informação de sustentabilidade (XBRL, qualidade, plataformas e etc.). É possível afirmar que muitos estudos sendo feitos, mas nenhuma proposta efetiva. A GRI promete impulsionar estes temas por meio do GRI Technology Consortium, um grupo focal lançado em dezembro e com um time forte liderado pelo professor John Elkington.
  • John Elkington, aliás, alertou sobre o fim das barreiras entre público e privado e das divisões setoriais em uma nova revolução industrial guiada pela tecnologia da informação. Não é exatamente uma novidade, mas o sentido de urgência está presente, já que não se avançou muito nesta agenda nos últimos anos.
  • GSSB: a GRI criou um comitê independente para o desenvolvimento de um novo standard: Global Sustainability Standard Board (GSSB), que deve aproveitar conteúdos da G4 mas construir uma estrutura mais modular, que se integre a diferentes usos, como às Demonstrações Financeiras (DFs), por exemplo. Os materiais estão disponíveis no site da GRI e aberto a consulta pública dos stakeholders.

Quem ficou no Brasil terá a oportunidade de conhecer em detalhes os principais temas discutidos durante a pós-Conferência, evento que será promovido pela própria GRI no Brasil, com apoio da report. Também vamos trazer outras novidades a respeito! Aguardem!

 
 
 
 
17 de Maio de 2016

Report: notícias

Report estará na Conferência GRI

A 5ª Conferência da GRI terá início amanhã em Amsterdã, na Holanda, sede da Global Reporting Initiative (GRI). O encontro ocorre de 18 a 20 de maio e reunirá cerca de 1,5 mil líderes de sustentabilidade de todo o mundo para trocar conhecimento, discutir melhores práticas e tendências para o relato.
 
 
Como uma das pioneiras na produção de relatórios de sustentabilidade no Brasil, a Report esteve presente em todas as edições da conferência e, neste ano, não será diferente. Gilberto Longo, sócio-diretor, e Victor Netto, consultor de sustentabilidade, acompanharão as plenárias e demais atividades previstas no encontro. 
A primeira conferência da GRI foi realizada em 2006, quando as discussões enfocavam a consolidação da prática de relatar nas empresas. Hoje, com um caminho consolidado de comunicação sobre questões críticas da sustentabilidade em empresas, governos e organizações do mundo todo, a preocupação é de como tornar estas informações mais úteis para capacitar a tomada de decisão de negócio. Para isso, a informação deve ser mais acessível, comparável e disponível em tempo real. Entre os temas que estarão em discussão nos três dias do encontro, a definição das informações que devem estar presentes no relatório, o uso de big data e as demandas dos investidores.
Os Objetivos do Desenvolvimento Sustentável (ODS) também serão destaque do encontro. Uma plenária vai discutir como a prática de relato e gestão dos indicadores GRI pode contribuir para que empresas e governos possam gerenciar e demonstrar suas contribuições em relação às metas e, mais uma vez, reforçar o embasamento para a tomada de decisão.
Acompanhe a experiência da Report na 5ª Conferência GRI em nossas redes sociais: Facebook, Linkedin e Twitter.
 
Confira a programação completa da conferência aqui.
 
 
 
 
 
12 de Maio de 2016

Report: notícias

Encontro da DNV-GL discute gestão da cadeia de valor

A DNV-GL promove na próxima semana (19/5), em São Paulo, a segunda edição do encontro Cadeia de Fornecimento Responsável. Com participação de profissionais de companhias como O Boticario, McDonald´s, Unilever e da Report, o evento volta a mergulhar nas discussões sobre a relevância da gestão de fornecedores para a evolução das empresas em práticas de sustentabilidade. As inscrições, limitadas, podem ser feitas aqui.

Com cadeias produtivas complexas, que podem incluir empresas de diferentes setores, portes e regiões geográficas, a indústria e o setor privado em geral têm na boa gestão dos parceiros de negócios um caminho para reduzir riscos, contribuir para o desenvolvimento local, melhorar as práticas de negócios e, assim, elevar patamares de reputação, rentabilidade e produtividade.

O encontro tem objetivo de, à luz de diferentes ferramentas e metodologias de gestão, compartilhar aprendizados e propor ações para integrar a gestão da cadeia ao modelo de negócio das empresas. Um dos palestrantes de destaque é Leonardo Lima, da Arcos Dorados – maior operador de restaurantes McDonald´s da América Latina. Além disso, Claudia Basseto, da Unilever, falará sobre as políticas de responsible sourcing dentro da multinacional.

A Report é parceira na organização e também deverá contribuir com os debates por meio de apresentação do sócio-diretor Estevam Pereira – que, em sua fala, abordará como as empresas abordam os Objetivos para o Desenvolvimento Sustentável (ODS), lançados em 2015, em suas relações com a cadeia de valor.

Serviço

2º Encontro Cadeia de Fornecimento Responsável

Onde: Hotel Tryp Paulista (R. Haddock Lobo, 294 - Cerqueira César - São Paulo)

Quando: 19 de maio

Horário: 8h30 a 14h

+ infos: e-mail (juliana.scalon@dnvgl.com) e telefone (11-3305-3366)

 
 
 
 
3 de Março de 2016

Report: notícias

Natura publica Relatório de Administração

Maior multinacional brasileira de cosméticos e de produtos de higiene e beleza, a Natura divulgou seus principais resultados de 2015 ao mercado no dia 18 de fevereiro, no Relatório de Administração (RAD). Entre os destaques da peça, publicada no jornal Valor Econômico, está a representação gráfica do modelo de negócios, que traduz a forma como a Natura opera. O infográfico apresenta a estrutura da empresa, os principais recursos que utiliza e dos quais depende, assim como o valor gerado para o negócio e para os públicos com os quais se relaciona. 
 
 
Perseguindo o conceito da economia circular, a empresa opera para realizar todo o potencial de seus processos, restringindo o desperdício. Mais de 80% dos ingredientes que utiliza são de origem vegetal, naturalmente renovável, e boa parte das embalagens tem grande potencial de reciclabilidade. Por meio de uma rede de parceiros nacionais e globais, compartilha conhecimento tradicional, ciência e design no desenvolvimento de novas linhas. Seus produtos propõem valores e comportamentos mais sustentáveis e seu modelo comercial gera renda para quase 1,9 milhão de consultores e consultoras Natura no Brasil, outros países da América Latina e na França.
 
Hoje, a empresa lida com o desafio de revitalizar a venda direta e abrir novos canais para seus produtos por meio da internet, de lojas próprias, de pontos de vendas de consultores que também são empreendedores e outros meios. Também assumiu compromissos para gerar impacto positivo para a sociedade por meio da Visão de Sustentabilidade 2020 – que se compromete com metas em diferentes aspectos do modelo organizacional, da rede de relações e de seus produtos e serviços.
 
 
Parceira da Natura há quase oito anos, a Report é a responsável pelo conteúdo do relatório e pela consultoria para a elaboração da representação do modelo de negócios e a coleta e análise dos indicadores de sustentabilidade. O RAD é a primeira peça da comunicação anual de resultados da empresa. O desempenho completo, assim como o detalhamento das principais iniciativas econômicas, comerciais e socioambientais, será divulgado em abril, quando será lançado o Relatório Natura 2015, também elaborado com o apoio da Report nas frentes de conteúdo, consultoria GRI, web e design.
 
 
 
 
29 de February de 2016

Report: notícias

Relatório Anual 2015 da BRF já está no ar

Presente em mais de 120 países e terceira maior companhia do planeta no abate de aves, a BRF S.A. acaba de lançar seu Relatório Anual 2015. O documento, elaborado com apoio da Report nas frentes de conteúdo, design e consultoria de sustentabilidade, já está disponível no site de relações com investidores da Companhia e, em breve, ganhará versões em áudio e revista. Para acessar, clique aqui.
 
                                       
 
Em um ano de avanços para a empresa – com destaque para a conquista de mercado em regiões como Oriente Médio e para as aquisições e joint ventures que reforçam sua capacidade de atendimento global –, o principal desafio do relatório é atender às demandas por informações sobre a estratégia e o modelo de negócios e, ao mesmo tempo, destacar os indicadores mais relevantes da performance social, ambiental e financeira do negócio. Para isso, mais uma vez, foram adotadas as diretrizes da Global Reporting Initiative (GRI) e do International Integrated Reporting Council (IIRC).
 
Estruturado segundo o modelo dos capitais do IIRC, o documento apresenta os ganhos e desafios da BRF com sua estratégia de internacionalização – incluindo a gestão global da cadeia de fornecedores, a orientação ao consumidor final, a customização nos lançamentos e renovações de produtos e a eficiência em custos. Também destaca dados sobre o desempenho ambiental, as políticas de ética e conduta e as diretrizes de bem-estar animal adotadas no ciclo de produção.
 
A Report foi responsável pela elaboração do conteúdo, design e pela análise e consolidação dos indicadores GRI reportados no documento. Além disso, atuou na definição e elaboração do modelo de negócios da Companhia, em sintonia com as diretrizes IIRC, e fez uma revisão estratégica da materialidade, analisando a relevância e a base de indicadores relacionados aos temas mais relevantes do negócio, com base na consulta a executivos-chave e no histórico de engajamento.
 
Além da versão completa, disponibilizada em português e em inglês, a BRF lançará versões em áudio – destinada a pessoas com deficiência visual – e em revista, com o conteúdo resumido e os principais números e projetos. A Report também atuará no desenvolvimento desses materiais.
 
 
 
 
8 de Dezembro de 2015

Report: notícias

IIRC e Accountability lançam guias para materialidade e engajamento

Acabaram-se os relatórios sem materialidade. Pelo menos para quem segue a Global Reporting Initiative. A G4, mais recente versão das diretrizes GRI, exige que as organizações relatoras utilizem o princípio de materialidade para identificar quais questões críticas do negócio precisam ser focadas pela gestão e, claro, relatadas.

É nesse contexto que surgem duas publicações que reforçam a necessidade de as empresas se atentarem para os impactos relevantes, na perspectiva do negócio e na perspectiva dos seus públicos estratégicos. O Conselho Internacional do Relato Integrado (IIRC, na sigla em inglês) divulgou o guia “Materialidade em <IR> - Guia para a preparação de relatos integrados”. Embora continue orientado para os provedores de capital, o IIRC evolui ao reconhecer que a criação de valor vai além do valor financeiro e que a perspectiva de outros stakeholders merece ser considerada.

Daí a importância das “Diretrizes de Engajamento de Stakeholders da AA1000”, aguardadas desde 2008, quando foram lançados os outros documentos da série AA1000. Se o engajamento de stakeholders é uma jornada, o guia da AA1000 traz um mapa rico em elementos que ajudam a construir esse caminho.

Embora não traga cases (como o faz o guia do IIRC), o documento orienta, por exemplo, a medir o nível de engajamento e relacionar essa informação a uma série de métodos de engajamento. E tudo faz sentido dentro do pensamento integrado, pois estabelecer um engajamento de boa qualidade ajuda a determinar com mais precisão as questões materiais que melhoram a gestão e o relato.

Para acessar os documentos:

Guia Materialidade em IR - clique aqui

Diretrizes de Engajamento de Stakeholders AA1000 – 2015 - clique aqui

 
 
 
 

Pages

Subscribe to Blog